Roubaram-me!

Julho 17, 2009 at 9:53 pm 3 comentários


Pois, pela primeira vez senti o que é ser roubado. Estava eu na Praia do Castelo na Caparica, para bom entendedor, o ânimo que me acompanhava nessa tarde está patente. Quando a certa altura debando até ao carro com o meu colega para seguirmos até casa. Acercavam-se as 18 horas e o dia ainda prometia. Quando me aproximo do carro que penso ser meu, o primeiro susto, alguém tinha levantado todos os pára-brisas e vandalizado um pouco um C3, passou, não era o meu carro. Mais à frente contente por ter notado não se tratar do meu, eis que encontro o meu carro, outro C3 branco de cor, ao chegar perto, o segundo susto. Uns parasitas quaisquer tiveram o prazer de partir o vidro corta-vento e assaltar o carro.

Dos prejuízos a lamentar constam um glucómetro e uma panóplia de livros originais e outros fotocopiados que por desleixo ainda não tinha carregado para casa, estavam na bagageira ocultos, mas não foi suficiente. Depois de virarem o carro do avesso tudo o que levaram foi isso. De certo um valor superior a duzentos euros, e estou a ser meiguinho para não me custar tanto.

Meus caros digo com certeza, preferia que roubassem esse dinheiro do que me terem roubado aquele património. Mais do que o prejuízo causado, o sentimento de perder uma parte do que me construiu dói. Talvez metade da minha pequena biblioteca estivesse dentro daquela grande caixa de papelão. Ainda não tenho a certeza de todos os livros que perdi e amedronto-me quando começo a deslindá-los.Comprar todos os livros que perdi de novo não tem o mesmo sabor. Para a próxima não cometo o mesmo erro. E se tivesse lido esta notícia (link) mais cedo decerto não o cometeria, um erro de preguiça, um erro estúpido e grosseiro.

Aos ladrões: Quando abordarem o meu carro considerem ter uma certeza na vida a bagageira vais estar à vista de todos e com moscas a esvoaçar, ou nem isso.

P.S.: À saída do posto da GNR da Caparica, após apresentar a denúncia, eis que surge um casal e antes mesmo de ver o seu carro, pela expressão com que me abordaram percebi que não tinha sido o único. Lá fora estava outro C3 usurpado da mesma forma. Há dias assim!

Anúncios

Entry filed under: Cultura.

Obesidade associada a perda de Cartilagem Google Reader

3 comentários Add your own

  • 1. Manuel Henriques  |  Julho 17, 2009 às 11:08 pm

    Olá Daniel.

    Lamento o sucedido. Mas pense positivo: ladrões mais cultos teram outra atitude. Irão roubar os que os roubam:)

    Aqui na “margem norte”, e até ver, nunca tive problemas.

    Um abraço

    Responder
  • 2. Daniel Rodrigues  |  Julho 17, 2009 às 11:12 pm

    Eu também nunca tive problemas na margem norte, onde estou alojado, os elefantes e os leões devem fornecer um presságio de defesa.
    No entanto, gosto das praias da caparica e cometi o erro por prazer.
    Cumprimentos.

    Responder
  • 3. Daniel Rodrigues  |  Julho 17, 2009 às 11:15 pm

    P.S.: Obrigado pelas palavras.
    Abraço

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Questionário

Memorando

Interlocutores

  • 123,962 Questionaram

%d bloggers like this: