Enfermeiros de Escola

Setembro 10, 2009 at 12:05 am 8 comentários


O desafio à discussão desta temática tem partido do seio da classe através de bloggers e pareceu-me no mínimo interessante a ideia. Há muito que não é novidade noutros países como o Reino Unido e Estados Unidos da América (link), e em que consiste o School Nursing?

Nada mais nada menos que: [ “A specialized practice of professional nursing that advances the well-being, academic success, and life-long achievement of students. To that end, school nurses facilitate positive student responses to normal development; promote health and safety; intervene with actual and potential health problems; provide case management services; and actively collaborate with others to build student and family capacity for adaptation, self management, self advocacy, and learning (in National Association of School Nurses).”]

Quer isto dizer, que simplesmente a Enfermagem nas Escolas consiste na prática especializada de profissionais de enfermagem que asseguram avanços em bem-estar e ganhos em qualidade de vida. Para o efeito, enfermeiros de escola facilitam as respostas positivas dos estudantes ao seu desenvolvimento normal; promovem a saúde e segurança; intervêm em problemas de saúde reais e potenciais; prestam serviços de gestão de processos clínicos e colaboram activamente com as outras entidades para o desenvolvimento da capacidade de adaptação e desenvolvimento saudável do aluno e família.

O Doutor Enfermeiro (link) manifestou a sua preocupação revoltada, quanto ao estado da saúde nas escolas, através de um post do qual reproduzo um excerto:

Não há problema…/… se o meninos consomem drogas dentro da escola…/… se engravidam meninas de 15 anos por falta de informação/formação e planeamento…/… se consomem bombas hipercalóricas e hiperglicémicas (porque existem máquinas de chocolates e refrigerantes em todos os cantos)…/… se transmitem hepatites (e afins) uns aos outros…/… se fazem TCE’s e fracturas ósseas em fenómenos de violência infantil e juvenil…/… se vão fazer um xixi (nem falo no resto) num WC imundo…/…se não existe qualquer acompanhamento regular por parte de profissonais de saúde (Enfermeiros) afectos às escolas…/… se a formação (em primeiros socorros) dos funcionários é exígua (uma gota do oceano: um míudo de 7 anos faleceu por engasgamento com uma castanha, porque, simplesmente, ninguém tinha ouvido falar da… manobra de heimlich)…
O que interessa é que andem de mãos desinfectadas.

Realmente isto é preocupante, obviamente que esta ideia de implementação de School Nurses partindo do seio da classe de Enfermagem pode ser vista como oportunista. O que eu contesto de todo, se o fosse não a incentivaria neste espaço. Apenas penso nela e decidi divulgar pela realidade da necessidade de implementação de uma política de saúde nas escolas. A carência de educação para a saúde nas escolas é uma realidade que não pode continuar a ser esquecida, os professores não têm meios suficientes para encetar essa política de saúde e admitem-no, pelo que, uma mudança neste sentido seria de louvar.

Um exemplo prático, e falo com conhecimento de causa, foi a adesão das escolas básicas e secundárias de Viseu a um projecto Educação para a Saúde que eu próprio desenvolvi no seio de uma ONG, o ISU Viseu. O projecto intitulado Escolas Saudáveis tinha por objectivo efectuar uma série de sessões de educação para a saúde nas escolas do concelho, através da disponibilidade de alunos de Enfermagem voluntários neste projecto. Na primeira edição tive de recusar algumas propostas de intervenção por manifesta escassez de voluntários para ministrar as sessões, o que demonstra a grande adesão das escolas ao projecto. O feedback dos professores responsáveis foi altamente gratificante e demonstrou a real necessidade das escolas neste tipo de abordagem.

Existem actualmente enfermeiros que desenvolvem um trabalho de saúde escolar, nos centros de saúde, através de deslocações regulares às escolas das suas áreas de influência, no entanto, esses contactos são manifestamente insuficientes e sem efeitos de empowerment e capacitação de indivíduos na promoção de saúde.

Actualmente o aumento dos indíces de obesidade infanto-juvenil é um facto e nada se faz para contrariar essa tendência. Ora mais uma razão para uma nova abordagem à problemática. Sabemos que os indíviduos adquirem hábitos regulares na infância e adolescência, hábitos esses que raramente são contornados, daí que se não apostarmos numa política de promoção da saúde e prevenção da doença desde a infância e com especial ênfase na adolescência, continuaremos a ter adultos cada vez mais obesos, maior incidência de hipertensão arterial, maior incidência de diabetes mellitus, maior incidência de hipercolesterolémia, etc, etc.

As políticas de saúde devem assentar na prevenção de doenças e promoção da saúde, com especial enfoque ao papel dos Enfermeiros neste aspecto em particular, que desde sempre foram os principais responsáveis pelas temáticas de educação para a saúde. Com a evolução dos indíces de internamento hospitalar causados directa ou indirectamente pela diabetes mellitus, hipertensão arterial, entre outros, e muitos factores de risco que causam as doenças coronárias e cérebro-vasculares o custo do Serviço Nacional de Saúde vai continuar a crescer exponencialmente. É necessário acreditar nos efeitos a longo prazo de uma política assente na prevenção da doença e promoção da saúde.

São uma realidade os custos que advém destas doenças e que tendem a aumentar ao SNS. No entanto é difícil olhar aos efeitos multiplicadores que uma nova abordagem de educação para a saúde pode ter no futuro. Seria lucrativa essa aposta, eu aposto.

Anúncios

Entry filed under: Saúde.

Joking Primeiros Socorros

8 comentários Add your own

  • 1. Doutor Enfermeiro  |  Setembro 10, 2009 às 12:38 am

    Se me importo que use textos do DE? Porque havia?
    Este tema é óptimo para discutir. ~

    Abraço,

    DE

    Responder
  • 2. Daniel Rodrigues  |  Setembro 10, 2009 às 12:50 am

    Só para avisar cordialmente. 🙂
    Cumprimentos

    Responder
  • 3. Edgar Pires  |  Setembro 27, 2009 às 2:11 pm

    A enfermagem no contexto escolar, uma ideia já praticada nos estágios das licenciaturas, e que faz tudo o sentido passar para a realidade profissional.

    Responder
  • 4. Anónimo  |  Junho 4, 2012 às 2:43 pm

    Como profissional da área, teria todo o interesse em ser um School Nurse… Não vejo porque não… É uma área deveras interessante, e as razões são evidentes no texto escrito acima…

    Responder
  • 5. noeli aguilhera  |  Abril 24, 2013 às 6:47 pm

    essa e nossa luta diaria!educar para a saude e impressindivel.acredito que as crianças sao nossos maiores multiplicadores em saude,e,que as politicas publicas estao na contramao das reais necessidades;que o tempo somente piora esse quadro da realidade que muito bem pintastes…..vou divulgar…abraço…enf noeli rg/rs

    Responder
  • 6. DANIELLE FLOR DA SILVA  |  Março 13, 2014 às 6:27 pm

    VOU FAZER MEU TCC SOBRE ENFERMAGEM NA ESCOLA GOSTEI MUITO DO QUE VOCÊ ESCREVEU SOBRE O ASSUNTO. TERIA COMO VOCÊ ME DAR ALGUMAS DICAS SOBRE O ASSUNTO?

    Responder
  • 8. Anónimo  |  Maio 26, 2017 às 11:34 pm

    quais seriam os requisitos ou especialidade para essa função ….pedagogia alem da enfermagem?

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Questionário

Memorando

Interlocutores

  • 123,971 Questionaram

%d bloggers like this: