Política do Medicamento

Maio 24, 2010 at 3:30 pm 1 comentário


O Bloco de Esquerda vai apresentar um projecto de lei com o intuito de promover a venda de medicamentos genéricos. Segundo o deputado à AR João Semedo a intenção é que o utente possa comprar o medicamento que quiser desde que o princípio activo do medicamento prescrito seja idêntico (ou seja, o doente apesar de ter uma prescrição de um medicamento de marca pode optar por comprar o medicamento genérico com o mesmo princípio activo)[link]. Tudo muito bonito e aplaudo a iniciativa. Mas… pensemos na seguinte situação.

O médico estabelece uma relação de confiança com o utente e, é nessa base que, cria a empatia necessária a uma relação terapêutica. Esse médico aconselha ao seu utente um determinado fármaco, o tal fármaco que irá prescrever. Estará o utente capacitado para chegar a uma farmácia e adquirir um fármaco diferente daquele?

Não! Não porque nenhum utente pode frustrar a relação de confiança que detém com o seu médico de família, na generalidade, consciente de que isso pode afectar a relação terapêutica em futuros contactos no seu acompanhamento clínico. Cabe aos médicos manter a ética – sim! – mas, inevitavelmente, a opção do utente fere a relação.

Alternativas:

Cabe ao Bloco de Esquerda garantir a assertividade da sua proposta, com coragem política e sem demagogia – pouco eficiente neste caso e como alguém disse ali em baixo, ‘facilmente desmontável’. Ora, sr.º deputado João Semedo saiba que estimo o trabalho que tem vindo a desenvolver mas peço-lhe um pequeno esforço. No projecto de lei deve constar a obrigatoriedade de todos os médicos prescreverem fármacos segundo o DCI (denominação comum internacional) – excepto caso esteja comprovado que determinado medicamento de marca tenha um efeito mais rápido ou eficaz que um genérico – poucos são esses casos concerteza!

Deste modo o utente mantém a sua relação de empatia, terapêutica e de confiança com o médico intacta! Uma questão de mudar hábitos, ou vícios?!

Entry filed under: Saúde. Tags: .

Miguel Sousa Tavares A resposta, Pizarro!

1 Comentário Add your own

  • 1. PFP  |  Maio 27, 2010 às 2:25 pm

    Talvez o Sr Deputado ande em más companhias. A actual assessoria do BE para os assuntos da Saúde é deplorável, contendo membros incapazes para o cargo que ocupam.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Questionário

Memorando

Interlocutores

  • 120,558 Questionaram

%d bloggers like this: