Uma face da moeda

Junho 29, 2010 at 3:30 pm Deixe um comentário


Particularmente na área dos profissionais de saúde, em que durante muitos anos (e continua) foi alimentado o mito do génio para entrar nos cursos de Medicina. Com a melhor das intenções as famílias investiram na preparação dos futuros médicos como se fossem atletas de alta competição. Consequentemente a entrada na tão almejada vaga constituía (e constitui) um carimbo de excelência. Infelizmente, pela distorção das fórmulas com que se calcula a entrada nos cursos (as notas do ensino secundário são necessariamente diferentes de escola para escola e não medem, de forma alguma, a competência para exercer a profissão), esse carimbo não corresponde à realidade.

As novas gerações de médicos são iguais às antigas gerações: há os bons e os maus, os interessados e os desinteressados, os ambiciosos e os humildes. No entanto, a sociedade e os tempos de hoje moldaram-nos e continuam a moldá-los numa visão diferente do que é o serviço público.

Para esta nova geração de médicos, que se auto avaliam como quadros superiores de alto nível, as suas remunerações e condições de trabalho devem ser iguais aquilo que sempre conheceram e que sempre lhes foi facultado – tudo lhes é devido, a tudo têm direito para que possam exercer a profissão que, para eles, se limita à demonstração do saber específico de cada especialidade.

Ano a ano, com a escassez de médicos que existe e que, não esqueçamos, tem responsáveis políticos, o núcleo do sistema de saúde deixou de ser o doente e passou a ser o médico. Politica e economicamente foram esses os sinais enviados, tratando-se a saúde como fábricas de salsichas ou de componentes de computadores, introduziram a noção do mercado, da oferta e da procura, sem a percepção (ou com esse objectivo?) de que os bens que se transaccionam na saúde não são parecidos com o vestuário.

Excerto da opinião de Sofia Loureiro dos Santos, no ‘Defender o Quadrado’. Título meu.
Leia a opinião completa aqui (link).

Entry filed under: Saúde. Tags: .

Coisas que me irritam Relatório de Primavera do OPSS [I]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Questionário

Memorando

Interlocutores

  • 120,557 Questionaram

%d bloggers like this: